Clímax-Pílula

"O matrimônio é um fléchi , clicado este botão pela conjuntura da opressão", murmurou enquanto mechia ao mormaço o frango ensopado. Há anos não dava um passeio pelas praças da vila. Era ela envolvida pela casa como a Ecdise permanente que lhe levara ao estágio sem asas. De porra à cavalo verde, xingou para todas as arestas da cozinha naquela tarde; por não se encaixar na ótica romântica das condesas, narradas em Paul et Virginie. "Raios de livros!"
Olhou pela janela carcomida; sentiu raiva da paisagem. Passou o olho pelo portarretrato com ódio de dois instantes - era ela presa na tua impaciência desde quando quis chegar a algo -, não era uma grafia de um momento; era uma heráldica, cujo discurso subjacente nada mais era que sua prisão. Ouviu os passos dele, diziam ' estou com fome'. É o portarretrato a prisão do seu passado; é a casa a prisão do seu presente.
(...)

Marcos Carneiro
Prosopreguiça

Nem todos que tem braços trabalham:
vide a poltrona - preguiçosa -
dorme em silêncio na sala
e ainda nos convence de sua causa.



.........................................................
Na estante

Uma lente macia; em zum de retina,
guardando grafias sem filme, sem clique.

Na estante um instante,
paralítico aprazia - um portarretrato :
porta para dois tempos.



........................................................


Ocorreu um erro neste gadget