Arlindo Metade

Desde pequeno menino babão, Arlindo já se encontrara em disparidade com os demais. Pra sua fala, não tinha meio termo: tudo era pela metade. Certo dia, durante os cantos agnósticos da catequeze dominical, acompanhava a sintonia da Madre Justina:

___ Cantem, Meninos! Aveeee Mariiiiiiiiiiiaaaaaaaaa!
E Arlindo, num estampido sucinto:
___ Ave!
Desde então, todos começaram a identificar o estranho emplastro. Inclusive a Madre Justina.
___ Como é teu nome, rapazinho?
___Ar! ...
___ Ar?
___ Ar!... Se estremecia na tentativa de dizer o nome, cuja feição e esforço assemelhavam-se com uma crise de convulsão epilética. E a Madre já soltava o berro, fazendo um reveion de muriçoca.
___ Afastem-se meninos! Ele tá querendo respirar! Abana, abana!

Seu problema, se assim podemos intitular, nunca fora diagnosticado por qualquer doutor eloquente, nenhum misticismo, nenhum chá esotérico. Mas os prognósticos da boca do povo - a medicina popular - eram inevitáveis.
___ Deve tá faltando metade do cérebro, sinhá.
___Que nada, muié! É pobrema da tiróidi !
De longe alguém passando na rua, gritava pro rumo do portão:
___ Dá óleo de peroba prele tomar, que sara!

Cada um tinha o que falar sobre a introspecção do moçoilo, o qual acompanhava com olhos arregalados, como se não entendesse uma palavra que aquele mafuá de gente dizia. Não se importava.
Passado o tempo, depois de milhares de sessões de Fonoaudiologia, psicologia infantil comunicacional, acumputura da traquéia, joelhaço, e algumas pílulas pra idioitia, bruxismo, apinéia, apatia, cistite, brucelose e gagueira, Arlindo se tornara letrado em bula de remédio. Uma literatura que ele manjava com facilidade, mas ainda ostentava o problema na fala. Com o tempo e experiência, já conseguia driblar, com prudência e testes de respiração, a falha do canal comunicativo, e durante a adolescência já sabia que se tratava de uma raríssima psicopatologia da comunicação. Tão rara que só nele se observava. Depois descobriu que era um disturbio na sinapse: deveria pensar duas vezes na palavras antes de a proferir. Uma vez pra primeira metade, e outra vez pra parte suplementar.
Todo dia, na entrada do Colégio Militar, durante a ortodoxa cantoria do hino nacional - o método do duplo-pensamento ainda era ruin para o canto - , Arlindo deveria dar explicações ao Major Medeiros, do porquê de cantar daquela maneira: " Ouvi... do Ipi.... Mar... as ... cidas... de um ...herói....retum.. sol ...dade... ra... gidos.. lhou .. céu ...tria ..ne... inst... te!"
___ Não sabe cantar o hino do seu país, Arlindo!? Perguntava o Major, já sabendo do seu problema. Está com problema em algum lugar?! Se estiver, eu posso lhe ajudar com uma coronhada na fuça!
___ Na dic...
___ O quê?!
___ .. ção.
___ O quê?! Abra a boca pra falar, rapazinho! Tire essas bolas da boca e vire homem!!
E Arlindo, pressionado e coagido, tinha de ficar exercitando a velocidade de seus pensamentos da linguagem, chegando a pensar duas vezes numa única palavra, com uma rapidez fenomenal. Era impressionante seu teste de superação, apesar das palavras ficarem com um corte no meio.
___ É pro.. blema na dic..ção Se... nhor!
___ Vá se tratar, Arlindo.


Marcos Carneiro

10 comentários:

  1. HAHAHAHA Gostei do texto. Coitadinho do Arlindo. Para explicar que tinha problema na dicção para pela metade é meio complicado. Parabéns pelo blog.


    http://admiradoresdehistorias.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Adorei. A forma com que foi escrito também, achei tudo muito bom. DÓ DO ARLINDO, HAHA

    ResponderExcluir
  3. Coitado do mlk. Dicção é um problemão.
    To seguindo Mano.

    AbçS
    __
    http://nolimitedamatematica.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Muito bom mesmo... mais o layout do blog é um pouco confuso =/

    mais de resto esta muito bom...

    Parabéns, irei vir aqui com frequência!



    Se puder, pode ler meu ultimo post?
    Chama-se: “Aleatório”

    http://assunto-jovem.blogspot.com/

    pode ser? Depois nos fala o que achou. =)

    ResponderExcluir
  5. otimo texto e concordo com o rapaz ai de cima... o layout esta um pouco confuso, mas ta mto bom no geral. :)

    ResponderExcluir
  6. Muito bom mesmo gostei muito parabéns

    ResponderExcluir
  7. pooo, caramba .. o.O
    gostei do texto .. muito bom caraw õ/

    ResponderExcluir
  8. Legal o blog! Mto bom encontrar alguém que goste de literatura e que faça literatura! Me faz pensar q o mundo ainda tem jeito ahuahuuah... Estou te seguindo.

    Acesse: http://observatoriolinguistico.blogspot.com/
    um blog sobre linguagem de modo geral... em breve pretendemos começar com promoções e concursos culturais então ajude-nos a divulgar!

    ResponderExcluir
  9. Muito bom o texto, mas o layout do blog é meio confuso...

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget