Voltando ao século passado...
Mário de Andrade
sobre o gênero Crônica:
" Nunca fiz dela uma arma de vida, e quando o fiz, frequentemente mal ou errado. No meio da minha literatura, sempre tão intencional, a crônica era um sueto, válvula verdadeira onde eu me desfatigava de mim. Também é certo que jamáis lhe dei maior interesse que o momente em breve em que, com ela, eu brincava de escrever."

(Imagem: Quadro pintado por Tarsila do Amaral em 1923, quando de uma admiração esplêndida, o deu de presente ao querido escritor)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget